Criptografar seus dados no Android, iPhone e Windows

Todos nós soubemos do PRISM, o software da NSA americana (National Security Agence), criado para espionar as comunicações e os dados transmitidos pela Internet, para identificarem terroristas.

É só um passo para que todos os cidadãos pensem que todos os dados que trocamos por nossos smartphones são também espionados ou, no mínimo, facilmente identificáveis. A questão que surge é a seguinte:

O que fazer para proteger minha comunicação?

1 – Criar um número PIN, uma combinação de 4 dígitos que permite abrir e utilizar o celular. Sem o código PIN ele é inutilizável. Para ativar essa função, basta acessar o MENU. 2 – Instalar um widget de espera na tela de seu smartphone. Alguns permitem bloquear seu smartphone quando ele entra em espera e exibir uma frase de sua escolha. Você pode, por exemplo, mostrar o que a pessoa deve fazer se encontrar seu telefone (levá-lo a determinado local, por exemplo). 3 – Criptografar seus dados em um Android:
  1. • Acesse o menu “Configurações” e a opção “Segurança”.
  2. • Em seguida, basta clicar em “Criptografar dispositivo” para criptografar todos os dados do seu telefone Android. Toda vez que quiser usar seu smartphone, será pedida uma senha (6 caracteres com pelo menos 1 número).
  3. • Observações: se você usar um HD externo ou um cartão SD adicional, você pode também criptografá-los escolhendo a opção “Criptografar cartão SD externo”.
4 – Criptografar um iPhone:
  1. • Usemos como exemplo o modelo iOS. O processo é simples: Basta criar uma senha, depois entrar em “Configurações”, “Geral” e “Bloqueio por Código”.
  2. • Quando o ladrão errar a senha 10 vezes seguidas, seus dados serão apagados do smartphone. Você deverá acessar o iTunes para recuperar seus dados criptografados, se você tiver feito o backup.
5 – Criptografar um Windows Phone:

Os telefones Windows não permitem criptografar os dados como o Android e o iPhone. Você deve instalar aplicativos externos, como por exemplo, LastPass, PassMinder ou All Passwords.

Conclusão

Não é preciso ser paranoico e pensar que o governo americano irá interferir em todas as comunicações para ouvir o que falamos. Porém, a criptografia de nossos dados no smartphone ou celular “não dói” e continua recomendada.

Dos três tipos de telefones analisados hoje, vemos que o Android é o mais seguro, pois permite originalmente uma criptografia de todos os dados do telefone, em comparação ao iPhone e o Windows.